25 abril 2013

Eterno clichê.


casal deitao


Se for pra ser clichê vou falar de amor eterno e príncipe encantado.
Posso escrever do amor que nunca tive, amor que a gente só vê nos filmes.
Quem sabe ate citar frases feitas, ou dizer eu te amo a quem quer que seja.
Posso sentir meus pés saírem do chão, minhas mãos soarem e meu coração bater mais forte quando estiver ao teu lado. 
Se for pra ser clichê, você vai ser meu amor pra vida toda, ter o melhor beijo e fazer um sexo inquestionável.
Obvio que também vai ser um “moreno alto, bonito e sensual” , sem se esquecer de ser a solução dos meus problemas.
Se for pra ser clichê, eu vou pra Hollywood fazer nosso final feliz.
Faço uma historia de amor sem igual, com indicação ao Oscar e tudo que a gente tiver direito.

Agora, se for pra ser real, fico por aqui mesmo.
Domingo à tarde a gente sai pra tomar sorvete, segunda de manha a gente briga por qualquer besteira, e no meio da semana a gente faz o que der na telha.
Se for pra ser real, tiro da historia o cavalo branco, a boa educação,o dinheiro e ate a eternidade
Tiro o príncipe e seus encantos, mais o sapo sempre vai estar em cena.

Elimino todas as frases feitas e coloco no lugar muitos palavrões ditos ao telefone, e muitas desculpas murmuradas logo após.
Posso tirar também as rosas, as alianças e os inúmeros eu te amo ditos a todo momento. 
Deixo só a florzinha amarela e murcha que você pegou no caminho da minha casa, as palavras sinceras que você me disse, e o eu gosto de você dito depois de quase um ano.
Tiro também o sapato de cristal e o vestido longo e pesado, coloco no lugar um chinelo de dedo e um shorts rasgado.
Se for pra ser real, acrescento muitas risadas nos fins da tarde, futebol nas quartas feiras e revezo entre restaurantes e festas nos sábados a noite.
Se for pra ser real, coloco o perrengue, a angustia e o fim.

Se for pra gritar aos sete cantos do mundo, que pelo menos seja uma historia sincera. 
Daquelas que têm começo, meio e fim. Porque é assim que é, e não há nada de errado nisso.
Se for pra ser real, conto de todo o carinho que a gente teve durante muitos anos, mais conto também que tudo passa, e que a nossa historia não fugia a regra.
E por falar em regra, conto que na real nos nunca quisemos ser à exceção de nada, que a gente viveu uma historia como qualquer outro casal teria vivido.
Nada de espetacular, sem plumas ou paetês. Tudo preto no branco, sem mais ilusões.
Depois quem sabe eu conte que o único clichê da historia foi o fim, porque fim é tudo igual, e ai nem teve como fugir.
Se for pra ser real, que com o tempo todo mundo se esqueça de nos, mas que a gente lembre. 
Mesmo que seja só pra olhar e dizer, o quão real foi ter você.  (Lorena Aguilar)

6 comentários:

  1. Que lindo !! :'(


    (help-adolecentro.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  2. Adorei!! Vivo um eterno clichê. kkkkk beijos, http://distanciacerta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do que vi !
    Muito difícil encontrar espaços bacanas como este :_)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada,

    http://bolgdoano.blogspot.com.br/

    Agradeço desde já !

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Camilla Gomes *-*
    beijão ;*

    ResponderExcluir
  5. Amanda Lemos, muuuito obrigada, volte sempre *-*

    ResponderExcluir

AddThis